Medidas de proteção Âmbito COVID 19 nos Hospitais Públicos- Mito ou realidade?

Exmos Srs,
A situação que me traz é decorrente de observação direta e na 1ª pessoa. Tendo-me deslocado a 06 e 07OUT de 2020 ao Centro Hospitalar de Lisboa Norte-Hospital de Santa Maria a acompanhar uma familiar idosa para procedimentos visando uma intervenção cirúrgica do âmbito urológico, verifiquei situações que vão contra o que presentemente está definido como medidas de proteção ao cidadão no âmbito do COVID 19.
Na área para colheita de material para o despiste do teste de COVID 19- pavilhões instalados junto ao posto de colheita de sangue (análises), verifiquei uma fila de mais de 60 pessoas a céu aberto, passando pela área das urgências, muitas delas não respeitando a distância de segurança devida, na fila encontravam-se pessoas idosas (entre elas a minha familiar com mais de 85 anos e com doenças), pessoas que se via que tinham dificuldades em se manter de pé (não existem cadeiras), grávida, e tendo eu perguntado ao segurança que estava à porta do pavilhão se a lei da prioridade para pessoas em condições especiais, se essa lei não se aplicava ali, foi-me respondido que não. Absurdo dos absurdos. O serviço de colheita, pese embora o maior esforço dos profissionais de saúde que possam estar a desenvolver nesta altura, não me parece estar a ser organizado devidamente. Alguma coisa me parece dever ser feita, e o segurança, ou seguranças, deverão melhor ser aplicados a verificar se as condições de segurança estão a ser respeitadas, ou não, e a não estar a recolher papelada na fila.
No dia 07 OUT no serviço de urologia no 6º piso, num espaço de cerca de 25 metros quadrados de área, estavam mais de 20 pessoas aglomeradas, algumas sentadas, pois muitas das cadeiras não podem ser utilizadas, não sendo de todo respeitada a distância de segurança que deve ser aplicada em espaços fechados. Janelas fechadas, ar saturado e utentes descontentes. Parece-me que esta situação deverá ser revista e alterada a bem da saúde. Tive que abrir a porta das escadas, para que pelo menos mais 4 pessoas pudessem estar desconfinadas daquele espaço da sala de atendimento.
Sugiro às entidades de saúde responsáveis que se centrem também nestes aspetos de organização dos serviços, de aglomerações de pessoas em espaços que não comportam tantos utentes à luz das novas regras, que instruam o serviço de segurança que prestam serviços em centros hospitalares das suas efetivas funções na área de segurança, etc. Corre-se o risco de se entrar num hospital são, e se saír com algum vírus.
Co m consideração pela saúde de todos
Jorge Barros Gomes

2020-10-08

Uso obrigatório de máscara

Bom dia, Gostaria de sugerir que passe a ser obrigatório o uso de máscara nas escolas a partir do 1º ano, é deveras importante uma vez que as escolas não tem condições para manter a distancia segura entre os alunos, a minha filha que está no 3º ano partilha a mesma mesa com outro aluno, lado a lado, uma mesa com menos de 2m de tamanho.
Também seria importante a obrigatoriedade do uso de máscara em todos os locais, incluindo nos locais ao ar livre mas com grande "tráfego" de pessoas.

2020-10-06

Plano nacional para a vitamina D

Exmos(as),

É conhecido, na sequência dos mais recentes estudos científicos, que existe défice de vitamina D nas populações das sociedades ocidentais, onde o estilo de vida e configuração de trabalho têm levado à cada vez menor exposição ao ar livre e à luz solar. Em países tais como E.U.A mas também e principalmente Sul da Europa onde se inclui Portugal até cerca de 50% da população tem défice desta vitamina.
Tendo em conta que os níveis desta vitamina:
a) afetam a resposta do sistema imunitário, sobrevivência a carcinomas e prevalência de osteoporose,
b) têm implicações do foro neurológico e psiquiátrico, sendo que níveis normais desta vitamina protegem de doenças neurodegenerativas,
c) influenciam a qualidade do sono, levando a melhorias gerais de atenção e produtividade no trabalho,
d) mais recentemente prova-se que níveis adequados diminuem o risco de morte por Covid-19, sendo que poderá ser avaliada a probabilidade de ser um fator de sobrevivência em possíveis novos surtos de outros tipos de coronavirus,
proponho que seja levado a apreciação a constituição de um grupo de trabalho com vista a intensificar a análise dos níveis desta vitamina não só em grupos de risco tais como população idosa mas também na população adolescente e adulta. Este grupo de trabalho poderá avaliar os défices na população e os potenciais benefícios de políticas de compensação com vista a benefícios não só no imediato (melhorias na qualidade do sono, produtividade, diminuição de colesterol e triglicerídeos, etc) mas também no longo prazo (doenças neurodegenerativas, potenciais novos coronavirus, osteoporose, etc).
Um possível plano nacional para a vitamina D envolvendo o SNS e concretamente médicos de família, poderá ter custos muito reduzidos quando comparado com os benefícios no imediato e longo prazo na população.

Atenciosamente.

2020-10-04

Preços de alojamento para estudantes que iniciam agora o seu percurso universitário- travar especulação com medidas concretas

Todos os anos milhares de jovens são "obrigados" a deixar a sua família, e o lar que foi deles por muitos anos. Os pais iniciam nessa altura uma busca por alojamento para os seus filhos, muitas vezes a centenas de quilómetros de suas casas. A odisseia começa. Quartos são "oferecidos" a um preço exorbitante, que muitas vezes inviabiliza a expectativa de um início de ano escolar sem sobressaltos. Os senhorios solicitam preços quase que incomportáveis, e algumas vezes nem emitem recibo, o que significa que estão a contornar a AT. Se o arrendatário solicita recibo, o que é justo, muitas vezes referem, que assim o preço será mais elevado. Isto é do conhecimento geral. Os estudantes, não raras as vezes, se sujeitam a estas condições, com desvantagens em todos os sentidos. O Estado, pela função que lhe compete, e considerando que o investimento na educação é um bem essencial, para o futuro e para a sociedade, também não consegue dar resposta cabal a este problema, ou por não dispor de alojamentos universitários em quantidade, ou por não se envolver profundamente na resolução deste problema, ou por não exercer a sua função de fiscalização sobre os preços praticados por particulares, entre outros. É urgente que este problema seja analisado convenientemente. Para o efeito, sugiro que o Estado e todos os agentes envolvidos, analisem com profundidade este assunto, criem condições para serem disponibilizados mais alojamentos universitários, em condições e a preços justos, se estabelecam parcerias com entidades próprias, se efetue uma maior fiscalização aos preços cobrados por particulares, se conceda algum benefício prático aos senhorios que legalmente arrendam quartos, que forneça apoio aos estudantes para efeitos de alojamento, dentro do razoável e de acordo com as condições daqueles, etc. O facto é que tal como os incêndios anuais, este é um problema recorrente. Será que temos que viver com esta inevitabilidade continuamente?
Com os melhores cumprimentos,
JBG

2020-10-04

Melhorar a ponte da EN2 em Peso da Régua !

A ponte rodoviária sobre o Rio Douro por onde passa a EN2 encontra-se num estado de degradação no tabuleiro por onde circulam todo o tipo de viaturas .

Aquela ponte possui uma faixa de rodagem estreita, em que viaturas de grandes dimensões podem chocar frontalmente por falta de espaço no tabuleiro, visto que no mesmo existem passeios há muitos anos nunca usados por peões.

Custa-me acreditar que deputados eleitos de todos os partidos políticos pelos distritos de Vila Real e Viseu ainda não tenham apresentado propostas credíveis e vantajosas para a melhoria da travessia da dita ponte rodoviária que faz a ligação dos dois distritos.

Espero que representem dignamente os eleitores dos dois distritos e exijam imediatamente o alargamento da faixa de rodagem no tabuleiro da ponte em Peso da Régua da EN2 !

2020-10-04

Eliminação da publicidade a bebidas alcoólicas !

As bebidas alcoólicas em Portugal têm contribuído para inúmeros atentados à integridade física dos cidadãos, tais como :

1 - Condução de automóveis a alta velocidade nos centros das localidades;

2 - Comportamentos desviantes e agressivos perante os cidadãos mais vulneráveis;

3 - Violência doméstica a menores, idosos e mulheres fragilizadas;

4 - Ameaças verbais e insultuosas a pessoas na via pública ;

5- Violações de jovens estudantes em festas escolares e universitárias;

6 - Comportamentos desajustados nos locais de trabalho ;

7 - Ruídos noturnos em áreas residenciais ;

8 - Crueldade nas escolas a alunos indefesos e professores com doenças depressivas e oncológicas;

9 - Banditismo e criminalidade organizada com assaltos ;

10 - Danificação do espaço público com pinturas e destruição de mobiliário urbano/ municipal e mesmo privado;

É urgente eliminar definitivamente todos os anúncios publicitários a bebidas alcoólicas na comunicação social, doa a quem doer, porque em primeiro lugar estão as pessoas responsáveis e disciplinadas que tentam com muito esforço e dedicação tornar este país pobre e deteriorado num local mais salutar !

2020-10-04

A utilização de crianças na TV !

Senhores/as deputados /as !

Cada vez mais assistimos impávidos e serenos à utilização de menores de idade na TV . Trata-se de um regresso do trabalho infantil que muitos dos nossos antepassados tentaram abolir da sociedade portuguesa para que o desenvolvimento social chegasse definitivamente a Portugal, após séculos e séculos de abusos a menores através do trabalho forçado e que era frequente assistirmos na agricultura; no comércio; na indústria e também na distribuição diária de jornais nas cidades.

Agora o trabalho infantil chegou em força às televisões e não vejo por parte de gente verdadeiramente responsável, informada e conhecedora da história mundial que existe uma DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS com 30 artigos excelentemente elaborados em 1948 que condenam o uso e abuso de crianças a todos os níveis na sociedade humana.

Em Portugal ninguém está interessado em acabar com esta aberração humanitária de colocarem crianças em idade escolar nas televisões!

É necessário e urgente terminarem definitivamente com este abuso de menores na sociedade portuguesa!

2020-10-04

Medidas objetivas, continuas e eficazes a serem aplicadas aos jovens à procura de 1º emprego

Este assunto tem sido muito falado, analisado, debatido mas medidas concretas e sustentáveis, parece que tardam a surgir, e que de facto, se traduzam em realidade. Os jovens de hoje, são decerto a camada da sociedade mais preparada academicamente, e seria bom que os "policy makers" conseguissem dar expressão na prática às suas expetativas. Intenções e palavras não bastam. Sugiro que seja equacionado com profundidade este assunto e que os jovens deste País consigam ver que vale a pena. Jovens sem expetativas hoje, serão adultos derrotados, e com falta de horizontes, e a sociedade será aquilo que esses adultos carregam em si,
Meus cumprimentos,
JBG

2020-10-03

Ano de exceção devidoa à pandemia- medidas de exceção para a vida partidária

Todos nós já ouvimos inúmeras vezes que este ano será um ano de exceção, e o próximo igualmente, devido aos reflexos muito negativos na vida económica, e em geral em todos os aspetos da vida da sociedade. Tudo aquilo em que se puder poupar deverá ser feito, e se dessa poupança resultar uma folga que possa ser aplicada em programas sociais, mesmo que para uma margem da sociedade relativamente pequena, então acho que a aplicação de verbas nesse sentido deverá ser equacionada. Sugiro que nas próximas eleições, sejam autárquicas, sejam Presidenciais, as verbas sejam reduzidas de pelo menos 25%, quer aos partidos, quer aos candidatos presidenciais, e a poupança daí resultante sejam aplicada em programas de apoio sociais. Poupe-se no dispensável e invista-se no indispensável.
A bem da sociedade.
Meus cumprimentos,
Jorge B. Gomes

2020-10-03

Jovens devem poder doar sangue

Olá, a todos do parlamento, gostaria de por o seguinto tópico em debate, porque jovens com 16 e 17 anos não podem doar sangue nem com a autorização de seus responsáveis legais? É algo comum vermos campanhas para doação de sangue em todo pais, com as restrições dos ultimos tempos foi agravada a falta de sangue, a flexibilização da lei que proibe menores de doar sangue traria enormes benefícios a todos os residentes no pais além de exercitar a empatia, nosso amor pelo próximo. Paises desemvolvidos e emergentes permitem a doação de sangue apartir de 16 com a autorização do responsavel, como é o caso do Brasil e Estados Unidos, não há motivos pelos quais deveriamos ficar atrasados nesse aspecto. Peço a todos encarecidamente que reflitão sobre tal, sei que chegaremos a mesma conclusão. Não temos um conhecimento prévio do que nos aguarda ou de nossos queridos amigos e familiares, uma doação de sangue feita hoje irá salvar uma vida amanhã.

2020-10-02