A INJUSTIÇA QUE DOI

Estou muito indignda como cidadã que trabalha arduamente, e verifiquei recentemente que os magistrados recebem mensalmente 875€ (14meses) para habitação sem descontos para IRS.
1º a renda de casa para eles tem um ano com 14 meses?
2ºum trabalhador que receba subsidio por trabalhar extra só recebe esse subsidio por 12 meses.
NÃO É JUSTO ESTOU MUITO REVOLTADA, POR FAVOR LEVEM ESTE ASSUNTO A DISCUSSÃO NA ASSEMBLEIA DA REPUBLICA.
SE É PARA PAGAR AOS MAGISTRADOS QUE JÁ GANHAM DEMAIS PORQUE NÃO PAGAM COM BASE NO QUE GASTAM EFETIVAMENTE QUANDO TÊM ACRESCIMO DE DESPEZA QUANDO DESLOCADOS E SÓ COM COMPROVATIVO DO GASTO.

POR FAVOR DEFENDAM A DEMOCRACIA COM BASE NA IGULDADE NÃO PODE HAVER CIDADÃOS DE 1ª E OS OUTROS.....
EU NÃO QUERO QUE OS MEUS IMPOSTOS SIRVAM PARA PAGAR MORDOMIAS A ALGUNS, OS CIDADÃOS EM GERAL DEVIAM ESTAR MAIS INFORMADOS SOBRE TUDO O QUE SE PASSA COM INJUSTIÇAS POR ESTE PAÍS.

OBS: É UMA INJUSTIÇA UM MAGISTRADO REBEBER UM SALÁRIO SUPERIOR A UM MEDICO QUE TEM TANTA RESPONSABILIDADE PERANTE A VIDA DE TODOS NÓS

2021-09-10

Centralização de candidaturas (Presidenciais, Legislativas ou Autárquicas)

Tenho tido muita dificuldade em ter decisões informadas quando são alturas de votar. Tento acompanhar mais do que acompanhava e mesmo assim é complicado.
Penso que não faça sentido ter essa dificuldade especialmente com as capacidades tecnológicas que já existem há décadas...
Debates não são suficientes ou benéficos sequer... a maior parte do tempo de campanhas ou debates tratam-se de repetição de chavões vazios ou apontarem os dedos uns aos outros como crianças da primária. Não se sente ou vê medidas concretas, ideias a serem debatidas e explicas, nem sequer o mais importante... o interesse em ajudar a melhorar o país ou região. Se isso existisse realmente então saberiam dialogar e aproveitar ideias uns dos outros.

Mas voltando à sugestão...
Um site fácil de descobrir com todas as candidaturas nacionais e com ligação a um espaço gerido pelas candidaturas para apresentarem as duas ideias, programas, propostas em maior detalhe e concretamente. Caso não o fizessem então isso já diria muito sobre as suas candidaturas...

Exemplo:
procuro autárquicas 2021 num motor de busca e o primeiro hit que tenho é logo para isso. Posso procurar por concelho, ver a lista de candidatos e procurar informar-me sem tantas percas de tempo e campanhas vazias.

Acredito que as pessoas não deveriam ter de andar a seguir tudo durante anos a fio, basicamente sendo um segundo ou terceiro trabalho, para conseguir fazer uma decisão minimamente informada... sem "clubites"...

2021-09-06

SUGESTÕES DE ALTERAÇÃO AO CÓDIGO DO IRS

O código do IRS estipula, entre umas tantas condições que, por exemplo, um neto(a) para fazer parte do agregado familiar dos avós, e poder ser elegível para efeitos de desconto em sede de IRS, que o neto, mesmo sendo menor, terá que ser objeto de uma decisão judicial para que tal elegibilidade possa surtir efeito no que a IRS diz respeito, isto é, seja considerado como parte do agregado familiar dos avós. Ora, por exemplo no meu caso, sendo o meu neto luso-brasileiro, menor, tendo vindo para Portugal para prosseguir estudos, e tendo a sua mãe, minha filha, conjuntamente com o pai do menor, emitido uma declaração reconhecida no Brasil, que o seu filho, meu neto, ficará a meu cargo em território nacional, para efeitos de estudo e vivendo em Portugal no meu agregado familiar, fui confrontada na Autoridade Tributária, com o facto de que todas as despesas associadas à sua educação, com a sua saúde, etc, terão as respetivas faturas/recibos que serem emitidas com o seu NIF, não podendo, por não existir uma decisão judicial portuguesa que permita que eu, ou o meu esposo, possam inscrever tais despesas em IRS. Ora, sendo emitidas tais despesas com o NIF de um menor, é valor que não poderei deduzir em sede de IRS, sendo prejudicada, e sabendo-se que o menor não teria possibilidade de suportar tais custos, sendo eu que o faço. Embora possua um declaração da Junta de Freguesia que ateste a constituição do agregado familiar, fazendo ele parte do mesmo, possuindo ele na base de dados do cartão de cidadão, o endereço de residência, que é o mesmo do meu fiscal, tais elementos não servem perante a AT. Sabemos que para se recorrer às entidades judiciais, além de se dispender dinheiro, somos confrontados com o tempo, que tais decisões demoram, além de um conjunto de documentos que terão que constituir o processo, que obviamente custam dinheiro. Um neto(a) menor, vivendo comprovadamente com os avós, sendo que estes o sustentam nas diversas dimensões, parece-me injusto que se beneficie a burocracia, ao invés, de se fazer prevalecer de uma forma prática e realista, as condições que propiciem aos avós poderem, de certa forma, ver tais gastos deduzidos nos impostos, que não são baixos, podendo beneficiar de um direito que lhes assiste, que é, e no meu caso concreto, poder contribuir para a educação e desenvolvimento de um menor luso-brasileiro, num País seguro e com condições adequadas para tal.
Estimo que existam muitos casos análogos ao meu, pelo que sugiro que as entidades competentes possam reavaliar e ajustar os procedimentos no código de IRS, para que de facto, a burocracia seja minimizada e a realidade seja ponderada, a favor dos agregados familiares nestas situações.

MGomes

2021-09-04