SNS sistema informático

A Moduslab de Faro não consegue colocar o resultado das análises no sistema em que os médicos de família vêm os resultados.
Problemas informáticos de comunicação.
Depois a Unidade de Saúde Familiar da Ria Formosa em Faro, não aceita o envio dos resultados das análises por e-mail, mas também não aceita que outra pessoa entregue as análises pessoalmente, mesmo sendo um funcionário da Moduslab que passe na rua da unidade familiar por causa da proteção de dados.
Querem obrigar a quem entregue tenha uma declaração do utente a autorizar a entrega dos resultados das análises na unidade familiar (se fosse ao contrário até entendia), ou mesmo o utente a gastar tempo e dinheiro para ser o próprio a entregar em mãos na unidade familiar.

Eu discordo totalmente da proteção de dados.
Deve-se penalizar o abuso da sua utilização apenas.

A vida não se faz por estas regras.
Para além de sabe-se lá o que se está a proteger.

2022-12-20

Incentivo ao emprego para o empregado

Infelizmente, nos dias que correm, oiço muitas pessoas a dizerem que não vão trabalhar porque não compensa. E por mais que seja revoltante, é a verdade. Penso que ajudar com apoios (125€, 60€, 240€, seja qual for) não é solução para nada. É justo para os que precisam mesmo pois estão incapacitados para o trabalho mas não para a maioria. A verdade é essa. Não vale a pena ser classe média em Portugal, pois ultimamente a classe baixa, tem se tornado mais rica sem fazer nada para melhorar. Tenho 28 anos, mãe, trabalhadora e estudante, com 11 anos de descontos. Não é de todo viável viver em Portugal assim. Ganho mais salário bruto do que ganhava há uns meses mas acabo por ganhar mais 10€ líquidos. A fazer horário noturno. Penso que a única forma de acabar com estas disparidades é dar incentivo aos trabalhadores, não falo de um cheque periódico mas sim baixarem as nossas taxas da segurança social e IRS. Talvez assim as pessoas que não querem trabalhar, veriam que fazia a diferença e havia mais contribuidores. Não é justo para quem quer dar um futuro bom para os filhos estar a pagar os dos outros (os que realmente não querem trabalhar). Chega ao mês de Setembro, abonos e apoios a todas as crianças com o 1º escalão. Conheço casos que o valor foi 10x superior ao do 3ºescalão. Para além disso recebem todo o material escolar por parte da câmara, refeições, tudo. Uma pessoa a trabalhar é 30 e tal refeições, cento e tal ATL, mais lanches, mais 300 material escolar. Como assim? Desconto para pagar os cafés aos pais que aproveitam esse dinheiro para fazer tudo menos cuidar das crianças? E nós que trabalhamos temos que viver de "pão e arroz" devido ao preço absurdo de tudo. Sugiro o incentivo a quem precisa mesmo (pessoas incapacitadas para o trabalho e reformados que trabalharam para isso) e a quem ajuda o país! Não há falta de emprego em Portugal hoje.

2022-12-19

A Verdade

Desabafo - As notícias evidenciam grande corrupção dentro dos partidos políticos a nivel nacional e mais recentemente até pessoas que têm peso nas decisões a nível Europeu.
Ser político devia ser como antigamente os médicos, por amor às pessoas, os ordenados á base de incentivos e não aos milhares enquanto povo sofre. Já pensaram em sujeitar semestralmente os políticos a poligrafos para ver se furtaram ou desviaram algum fundo que não lhes pertence? A verdade é que são eleitos em grande parte pelo população, quão arrependidos ficam quando vêem estes casos. Apelo á vossa consciência ou a formatar uma baseada em princípios sólidos. Perdão pelo desabafo.

2022-12-15

Criação de soluções de alojamento para funcionários públicos

Adaptação de grandes edifícios ( antigos conventos, quartéis ) em Lisboa, Porto e outras regiões, para alojamento a preços módicos para professores, médicos e outros profissionais em falta nas zonas com alojamentos mais caro, fator que impede a fixação dos referidos profissionais.

2022-12-09

Cuidador informal principal / cuidador informal não principal

Um cuidador informal principal que trabalha (docente) mas não pretende deixar a atividade poderá ser considerado neste caso cuidador informal não principal (apesar de na prática ser principal). O problema está na falta de regulamentação das faltas/ horário ajustado a essa função. Já tendo redução da componente não letiva poderiam retirar do horário toda a componente não letiva e se houvesse a opção de uma redução maior por esse motivo na componente letiva, sem alterar o valor da remuneração, seria uma mais valia para um maior equilíbrio ao nível da diminuição do enorme desgaste da atividade "cuidar do familiar dependente" e também é fundamental regulamentar o regime de faltas que se podem dar ao abrigo do descanso exigido por esse desgaste (não é um pedido de apoio social remuneratório nem de teletrabalho pois não seria muito viável na docência). É apenas um pedido de regulamentação da organização/ redução da atividade laboral, sem perda de benefícios e a regulamentação de faltas, por exemplo, como é o caso de mães que estão a amamentar. Após noites sem dormir é muito desgastante e cansativo ter que gerir os dias a tentar transmitir conhecimentos num ambiente muito dinâmico como são as turmas de alunos (os quais não são sensíveis aos problemas dos adultos). A pessoa não pode deixar de trabalhar pois para além do fator remuneratório para o seu sustento, seria muito complicado um dia, na sua idade, retomar as funções. A entidade patronal, apesar de ser uma escola dependente do ministério da educação, não havendo legislação/regulamentação, o diretor e a sua equipa de horários fazem o que querem: nem atendem ao pedido de horário, fazendo-o cheio de buracos, que até parece ser de forma provocadora, uma vez que têm conhecimento da situação, através dos atestados, apresentados, de incapacidade do familiar dependente. É urgente criarem medidas que permitam ter os nossos connosco e que simultaneamente permitam a conciliação com a profissão.

2022-12-05

Redução taxa Iva produtos nacionais

De forma a ajudar as empresas nacionais, sugere se redução taxa Iva dos produtos fabricados inteiramente em Portugal (que usam matéria prima e mão obra PT)

2022-12-04

Etnia cigana

Em Boliqueime existem 3 comunidades de etnia cigana, tantos e tantos furtos já sem conta, de casas, automóveis e principalmente alfarrobas.
Só conheço um elemento de etnia cigana com emprego na bomba de combustível da família do Cavaco Silva. E tantos jovens de 20 -30 anos. O que fazem estes jovens?
Como as outras pessoas vivem?
Não é com RSI que conseguem viver.
Acho que devia de haver um controlo para estas situações.
Perceber a integração sistémica na sociedade.

2022-12-02

Escalada de níveis de sobrevivência.

Após ver esta notícia https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/homem-morre-em-rixa-em-cafe-apos-agredir-funcionaria-e-cliente, acho o seguinte:
Até ao limite da sobrevivência digna, deveria-se simplificar a vida das pessoas e não exigir uma integração de obrigações legais.
Temos que ter em consideração os desesperos das pessoas, e principalmente não terem dinheiro. Mas o estado cobra tudo em dinheiro.
É melhor ter um barracão do que viver na rua. Mas depois vem as autoridades demolir o barracão sem integração sistémica na sociedade, ficando a pessoa na rua.
É melhor vender um bolo feito em casa, do que andar a pedir ou ficar dependente do banco alimentar. Mas depois vem o fisco impedir que os cafés comprem pequenas coisas sem fatura a privados, que não tem volume de negócio, para ser negócio.
Porque nas escolas não se ensina a criar um porco ou uma galinha ou ordenhar uma cabrita, a plantar umas plantas para o jantar ou almoco? É melhor do que não ter direito a subsídio nenhum do estado por não cumprir as regras legais do estado e ficar sem abrigo. Mas depois vem a fiscalização dizer que aquelas 10 galinhas para comer têm que estar declaradas. Sem volume de negócio considerado negócio.
As pessoas têm que deixar de apanhar 2 ou 3 árvores de fruto no quintal porque têm que vender com fatura, como fosse um negócio, sem volume de negócio.
As pessoas já não podem vender umas couves do quintal no adro da igreja sem fatura, como fosse negócio sem volume de negócio.
É o estado que estrangula a sobrevivência das pessoas, a sua garantia de autonomia para comer e vender um pequenito excedente para comprar um frigorífico que o outro avariou ou uma cama para os novos netos que vão surgir.

O estado tem que criar leis para verdadeiros negócios, com volume de negócio e com mão-de-obra destinada a tratar cada um para o seu tema. Não é chatear o dia-a-dia de sobrevivência para comer, colocar combustível, pagar a electricidade que nem para isso existe.
É necessário recuar até a um determinado nível, para as pessoas vivem em paz sem preocupações e muito menos terem que saberem leis fiscais ou legais que quem vive nesses meios não as sabe quanto mais só quem quer apenas viver.

2022-12-01

Lista de ladrões

Se a lista de pedófilos está divulgada;
Se a lista de devedores está divulgada;
Porque razão a lista de ladrões não está divulgada? Era muito dissuasor e preventivo de outras ações.
Eu discordo totalmente com a proteção de dados. Tudo deveria ser transparente.

2022-12-01

Impressões digitais GNR / Furtos

A GNR devia ser obrigada a tirar as impressões digitais a tudo o que fosse furto.
A primeira coisa que dizem é que não tem condições para fazer, sem tentarem sequer.

Depois, quem for apanhado por furto não pode ter só uma penalização financeira pelo tribunal, senão ainda vai furtar mais. Tem mesmo que ser privado de liberdade, para dar mais valor à sua liberdade.

2022-12-01