Pandemia

Criar/construir um hospital de infecciologia de raíz, nacional e público, para receber os doentes infecciosos, com capacidade para 1000 camas e respectivos meios de apoio, e também capacitados com laboratórios de ponta empregando os bons investigadores deste país. Somos a nação com os melhores recursos humanos do mundo! Imaginem sermos os descobridores dos tempos modernos. Poderíamos assim, conseguir ter os restantes hospitais livres para continuar com o seu BAU ( business as usual).

2021-01-24

Voto digital

Bom dia,

Penso que deviam lançar um tema de opinião: o voto digital.

Hoje em dia, muito menos em tempo de pandemia não se justifica ir fisicamente votar quando Portugal já tem uma plataforma digital que podia suportar o voto digital: O Portal das Finanças…ou outro portal qualquer que requeira autenticação, com chave digital ou outro processo de autenticação.

Bastava desenvolver software especifico para o efeito com autenticação para o próprio telefone registado e voto seria seguro, sem possibilidade de fraude, assim como acontece com as plataformas bancárias, aonde recebem milhares de operações por dia em total segurança.

Obviamente toda essa estrutura tecnológica teria de ser sujeita a auditoria/controlo/verificação e obviamente em condições de proteção anti-hacker (firewall, etc), semelhante ao que já acontece com o Portal das Finanças.

Isto iria permitir votar em qualquer parte do mundo e obviamente para os idosos ou qualquer pessoa com menos pratica de tecnologia (computadores/smartphones), qualquer familiar ou amigo poderia ajudar a votar. Até pessoas que estejam hospitalizadas poderiam votar.

O voto pode ser condicionado pela mobilidade, tempo, distancia da deslocação, ora, tudo isto desaparecia automaticamente.

Sem dúvida que a abstenção iria diminuir face a esta facilidade de voto e até se poderia promover algum beneficio no voto de forma a estimular o próprio voto.

Hoje já fui votar na Escola Secundária Ferreira Dias e a confusão era total, corredores cheios de pessoas, sem regra da distancia de 2 metros e com setas ridículas no tamanho a indicar os trajetos: por acaso estava sem bateria e não pude tirar fotos, é uma vergonha termos de ver isto com tanto tempo de preparação pré-eleições para o local de voto.

Obrigado
João Leocádio

2021-01-24

Fecho das escolas - Ensino Online

A atitude do Governo é lamentável neste assunto, as escolas que têm condições para trabalhar à distância devem fazê-lo de acordo com o plano de contingência exigido pelo próprio ministério da Educação antes do início do ano lectivo.
A atitude prepotente e autoritária do nosso ministro da educação em nada abona a nossa democracia e é contrária à nossa Constituição, direito a aprender e a ensinar.
Entendo que nem todas as escolas estão preparadas por ineficácia central, será sempre assim, mas não devemos prejudicar quem pode e consegue.
Na nossa vida existem sempre desigualdades, é assim que a vida e a economia funcionam.
Existem muitas escolas públicas com condições assim como privadas.
Com a continuação desta medida estapafúrdia vamos atrasar os calendários lectivos, consequentemente os períodos de férias das famílias e por inerência prejudicar a retoma económica no futuro pós pandemia, pois existirão menos consumidores a alimentar os nossos serviços, consequentemente menos impostos.
É uma decisão que não tem nada de brilhante e que deve ser de imediato revista.
O período escolar tornar-se-à longo e extenuante, sem pausas e entrando pelos meses do Verão, concentrando as férias dos pais num período mais curto.... enfim é um absurdo.
Obrigado

2021-01-24

Novas moratórias

Exmos Srs Drs,
Dada a pandemia solicitamos, encarecidamente, a possibilidade de serem realizados novos pedidos de moratória aos bancos. Felizmente, anteriormente houve quem não precisasse e neste momento, precisa e não pode solicitar. Por favor, solicitem novamente a participação da rede bancária neste momento tão difícil para todos.
Muito obrigada

2021-01-20

Arrendamento habitacional

Exmos (as) deputados,

O momento que atravessamos é um momento muito exigente para todos.
Falo enquanto cidadã mas acredito que falarei por muitas outras famílias. Neste momento vejo o meu senhorio a fazer renuncia de contrato por ter chegado ao fim do mesmo. Terei habitação até Outubro de 2021 depois disso e caso queira continuar a viver no mesmo sitio terei um aumento de quase 100% da renda que actualmente pago. Sou empresária em nome individual com um menor a cargo, não tenho forma nenhuma de fazer face a este aumento, até porque dado o estado de emergência estou de portas fechadas.
Sugiro desta forma que não sejam permitidas renuncias até ao fim de 2021 ou até 2022, parece-me que esta pandemia se irá estender por bastante mais tempo e colocar mais pessoas na pobreza para ganhos de outros é perfeitamente inaceitável.
Agradeço desde já a vossa atenção para o meu caso e ocaso de muitos

2021-01-19

Alteração ao Sistema de Voto

Boa noite. Venho por este meio deixar uma sugestão de alteração ao sistema de voto, uma vez que vivemos em pandemia mas também para combater as abstenções que tem havido ao longo dos anos, deixo a minha sugestão para a modificação do sistema de voto via Online. Simples, eficaz, a criação de um programa que chegue realmente a todos os portugueses sem qualquer tipo de desculpa para não votar.

2021-01-18

Pandemia e legislação

Dado os políticos (e alguns média) estarem a "sacudir a água do capote" passando a culpa do descontrole da pandemia para o povo português era importante que se divulgassem as evidências que nós não estamos a respeitar a legislação , por exemplo quantas multas (ou coimas ou contraordenações ...) foram passadas pelos responsáveis pela fiscalização.

2021-01-17

Confinamento ou não- a pandemia e a Lei abrange todos

A situação pandémica que originou este confinamento, de pelo menos um mês, que é o período que se espera necessário a melhorar a situação pandémica e de sobrecarga no SNS, com certeza que se aplica a todos, e foi possível verem-se imagens emitidas pelas TVs de passeios ao longo das áreas ribeirinhas em Lisboa (Oeiras-Carcavelos-Cascais) neste final de semana, bem como noutros locais do País, em que cidadãos não usavam máscaras de proteção e se passeavam em número significativo, parecendo que para eles não existia um estado de emergência, e nem a lei do confinamento a eles se aplicava. Afinal, o confinamento aplica-se a toda a população, salvo as exceções que são muitas e plasmadas na lei, ou é somente para alguns, que pretendem respeitar o seu agregado familiar e o próximo, e sobretudo tentar contribuir para o alívio da sobrecarga do SNS? Se existe por parte das autoridades vigilância e policiamento, não me parece que isso tenha acontecido. Se existem multas/coimas elas que se apliquem. Não estamos a viver um período de Primavera em que aos fins-de-semana nos passeamos pela beira-mar para um passeio ou exercício físico. Exercício físico pode ser realizado junto ao domicílio.

Apelo e sugiro às entidades responsáveis, que atuem com os meios que dispõem, para que estas imagens não se repitam, e se todos estamos no mesmo barco, então que rememos todos para o mesmo lado, para que com urgência a situação sanitária possa melhorar.
Com os meus cumprimentos,

JBG

2021-01-17

Encerramento dos ATL e Centros de Estudos fora do recinto escolar.

Atendendo que várias escolas do ensino público, não têm horarios continuos. Atendendo que muitos CAF, não correspondem ao que se pretende, no auxiliio das crianças e jovens no apoio ao estudo, nem é essa a sua função, uma vez que são assistentes operacionais que auxiliam como podem na elaboração dos trabalhos de casa, muitos pais optam por colocar os seus educandos em centros de estudo privados. O encerramento dos centros de estudos, deixou muitos pais, que não se encontram em teletrabalho sem alternativa.
A estes resta-lhes duas hipóteses faltar ao trabalho sem justificação, dado que as escolas estão abertas e para muitos patrões não é justificação, o que gera desemprego ou entrega - los aos cuidados dos avós, que deveriam estar protegidos, pois são grupo de risco.
Face ao exposto, espero ponderação e revogação deste anexo que por si só já complica a vida de muitas famílias e causa o efeito contrário ao que é suposto.

2021-01-16

Revisão e alargamento das situações que permitem voto antecipado

No caso das eleições presidenciais, o voto antecipado é permitido nas situações contempladas na Lei Eleitoral do Presidente da República, artigo 70.º-B.

Um dos resultados da lei é que enquanto um cidadão português recenseado em Portugal pode, tendo as devidas justificações, votar antecipadamente no estrangeiro, já um cidadão português recenseado no estrangeiro perde (por completo) o direito de voto antecipado, esteja no país onde reside ou noutro (inclusivamente Portugal).

A negação do voto antecipado aos portugueses emigrantes é injusta e discriminatória. Sugiro a revisão das leis e o alargamento dos critérios de voto antecipado de todas as eleições (presidenciais, legislativas, autárquicas, europeias).

2021-01-16